Panasonic Lumix FT5

Construir uma câmara fotográfica simultaneamente apelativa e preparada para resistir aos choques, intempéries e a praticamente todos os elementos da natureza, até pode parecer uma tarefa inalcançável. No entanto, após alguns testes impróprios para os utilizadores mais zelosos, a Lumix FT5 provou ser incrivelmente robusta e apropriada, não só para os adeptos da vida ao ar livre mas também, para os pais que não se querem preocupar quando os mais pequenos tiverem uma súbita vontade de tirar uma fotografia.

Mas, será que por baixo desta “capa dura” a FT5 é capaz de oferecer os resultados desejados?

Equipada com uma objectiva Leica DC Vario Elmar, um ecrã de três polegadas, tecnologia NFC, Wi-Fi, GPS, um sensor de 16,1MP e uma objectiva Leica DC Vario Elmar grande angular de 28mm e um zoom óptico de 4.6x, a nova Lumix FT5 é verdadeiramente todo-o-terreno, podendo ser submergida até 13 metros debaixo de água, resistir a quedas até 2 metros e suportar temperaturas negativas até 10 graus negativos.

A isto foi também acrescentada uma resistência alargada, capaz de aguentar uma pressão de/até 100 quilos, um compartimento de bateria e cartão SD extremamente bem selado e ainda um vidro protector da sua lente.

Apesar da subtileza não ser o seu forte, esta câmara da Panasonic oferece um design bem conseguido e cores garridas para ser facilmente detectada em qualquer lugar durante as actividades ao ar livre. Para além disso, a sua estrutura oferece uma pega segura e agradável ao toque, botões bem colocados e um ecrã suficientemente espaçoso e competente para aceder a todas as suas funcionalidades sem qualquer problema.

No seu interior, os componentes que completam a FT5 cumprem na perfeição o que prometem fazer, oferecendo imagens nítidas, brilhantes e detalhadas na maior parte das situações. Apesar da sua lente estar resguardada por um vidro, os resultados traduzem uma boa captação de texturas e contrastes bem definidos, mesmo em modo automático, oferecendo um bom equilíbrio entre focagem e exposição.

Já o controlo manual permitido pela FT5 mostrou ser, por vezes, um pouco limitado, já que, quando utilizamos o seu zoom ela permite-nos alternar apenas entre duas aberturas: f/3.3 e f/10 quando em grande angular e f/5.9 e f/18 com um enquadramento mais fechado.

Em termos de vídeo, a FT5 oferece resultados assinaláveis quer ao nível da cor, quer ao nível do detalhe, permitindo-nos gravar no formato AVCHD (para visualização em TV) ou em MP4 (optimizado para edição e visualização no PC).

Para além de ser à prova de quase tudo, outra das mais valias deste equipamento reside nas opções de conectividade que ela oferece, permitindo-nos localizar o lugar onde as imagens foram captadas através do seu GPS Integrado, transferir as nossas fotografias directamente para o PC via Wi-Fi e controlar a nossa câmara a partir de um smartphone.

De assinalar também a facilidade com que é possível enviar fotografias da FT5 para um dispositivo contemplado com a tecnologia NFC, simplesmente por encostar os equipamentos um ao outro. Neste caso, a experiência foi feita com o Sony Xperia tablet Z, sendo que, quando os dois dispositivos são emparelhados pela primeira vez, somos automaticamente encaminhados para o Google Play com a finalidade de descarregar uma aplicação dedicada da Panasonic.

Em suma, apesar de, em certa medida, alguma da sua qualidade de imagem ter sido, sacrificada em detrimento da sua robustez, a Panasonic Lumix FT5 é capaz de oferecer resultados bastante satisfatórios, múltiplas opções de conectividade e uma durabilidade como poucas.

Esta é sem qualquer dúvida, uma das melhores câmaras fotográficas “todo-o-terreno” do mercado.

Sobre Daniel Marinho
Daniel Marinho
Fundador da "Multimédia com Todos"; formado em comunicação social e multimédia; fanático da interactividade digital, dos videojogos e da fotografia.
Artigos de Daniel Marinho
Nenhum comentário

Deixar uma resposta