SimCity

O novo SimCity é um daqueles jogos que aparecem de vez em quando, destinados a um imenso consumo de tempo aos jogadores mais exigentes, e que mais se assemelham a complexas aplicações do que a entretenimento, como o Minecraft ou World of Warcraft. E porque os detalhes são tantos e tão profundos, optamos por vos deixar aqui uma leitura mais superficial deste grande simulador.

São muitas as instruções a aprender e interpretar para dominar este jogo, mas a lição é muito satisfatória. Uma região, dezasseis cidades. Sozinho ou acompanhado (via online), o objectivo de SimCity mantém-se há várias décadas: ser o Mayor de uma cidade – semelhante a um presidente da câmara. Nesta edição, a gestão do Mayor estende-se também às cidades vizinhas, partilhando recursos entre elas, como petróleo, carvão, energia ou água.

A longevidade deste título é imensurável. A experiência pode durar um punhado de horas, dependendo dos objectivos, mas provavelmente ninguém investirá menos de dez horas até ver algo digno de um Mayor honrado. Isto porque é necessário lidar com as visualizações de informação, gerir impostos, empréstimos, necessidades, poluição e manifestações. A política é um assunto demorado!

O novo motor Glassbox gere a lógica de vida digital dos Sims: têm uma casa, desejos e mágoas, um carro que conduzem até ao escritório e um cargo que ocupam num edifício da cidade. Deste modo, tudo tem um propósito de existir em SimCity e todos os objectos estão interligados. Esta componente de jogo tem oferecido dores de cabeça aos seus produtores, com ligeiros bugs presentes na versão publicada, mas traz um sentido a todos os detalhes de Sim City. E, quanto aos bugs, já foi publicada uma actualização para corrigir muitos deles.

Mesmo com tanta informação e detalhes acessível em jogo, os requisitos mínimos do sistema conseguem ser relativamente gentis e até computadores com cinco anos de idade podem correr este título. Para Junho, está agendado o lançamento da versão para sistemas Mac. Posto isto, resta-nos lançar o alerta a quem instalar este grande título produzido pela Maxis: antes de arrancarem o jogo, activem alarmes num despertador próximo, para que vos despertem para a realidade além do monitor.

Sobre Daniel Marinho
Daniel Marinho
Fundador da "Multimédia com Todos"; formado em comunicação social e multimédia; fanático da interactividade digital, dos videojogos e da fotografia.
Artigos de Daniel Marinho
Nenhum comentário

Deixar uma resposta